História de Sucesso: como desenvolvemos a universidade corporativa que reduziu em 70% o custo de treinamentos de mais de 260 empresas

Em 3 anos, o Sistema Escudo também se destaca como a universidade corporativa com foco em SST e conformidade com a legislação mais completa do Brasil, capacitando mais de 50 mil pessoas até o momento.
fundo-verde-pequeno

Receba conteúdos gratuitos no seu e-mail

fundo-roxo-peqeno
História de Sucesso

O Sistema Escudo é uma empresa de Blumenau – Santa Catarina, e a primeira Universidade Corporativa com foco em SST e em completa conformidade com a legislação no Brasil. Além de criada aqui dentro da Evolke!

A história:

Em 2012 quando Hugo Vogel, sócio-fundador da Evolke, teve a ideia para o que viria a ser o Sistema Escudo, ele tinha acabado de voltar para o Brasil. No tempo que passou fora, descobriu um nicho de mercado ainda pouco explorado no país: a capacitação por EaD em saúde e segurança do trabalho – SST.

Quando o negócio começou a andar, os primeiros clientes a acreditarem nele foram empresas multinacionais que já tinham algum nível de experiência com treinamentos em EaD.

“Cheguei em dezembro de 2013 e durante um tempo foi assim: o Sistema Escudo nem existia, era apenas a Evolke, construindo um catálogo de treinamentos de NR e fazendo projetos personalizados com uma equipe pequena, que fazia de tudo um pouco”. Contou Deivid Alexandre Rodrigues, sócio e co-fundador do Sistema Escudo.

Porém, a ideia de encarar o mercado de forma diferente veio quando Hugo inscreveu a Evolke no InovAtiva Brasil, em 2014 (programa do governo federal de aceleração de startups). Isso porque, Alessandro Barilla, mentor da Evolke no programa, sugeriu que a empresa precisava de mais foco no cliente final.

“Lembro até hoje! Virei para o lado, olhei para o Hugo e disse: então vamos criar uma segunda marca com foco exclusivo em SST. Ele topou na hora e assim nasceu o Portal Escudo, da necessidade de falar melhor a língua do profissional de SST.” Relembrou Deivid.

Embora a Evolke tenha se tornado uma das finalistas do InovAtiva, o início das atividades para o Sistema Escudo foi mais difícil. Isso porque a modalidade EaD não era muito popular ou incentivada no Brasil.

“Creio que pra se proteger, muita gente falava até mal do EaD.” pontuou Deivid.

Mas a primeira bomba chegou mesmo em 2016. Na época, o então Ministério do Trabalho publicou a Nota Técnica 283, onde desencorajavam a modalidade EaD para treinamentos obrigatórios. Ele alegava que era por “cautela”, pois não existia clareza sobre sua aplicação nas empresas.

A decisão adicionou um novo obstáculo a modernização do setor e desburocratização dos processos de capacitação no país. Mas também criou um movimento no mercado a favor da uniformização dos treinamentos de NR em EaD.

Foi nessa época que os sócios Hugo Vogel, Deivid Alexandre Rodrigues e Rodrigo Demo conheceram o Manifesto do e-Learning sério. Esse documento, assinado pelos nomes mais importantes do mercado da aprendizagem corporativa no mundo, detalhava o que acreditavam que a aprendizagem EaD deveria ser desde o começo.

Baseados nesse manifesto, os três sócios escreveram uma carta, como outros profissionais da área, que formou um dossiê (junto dos pareceres da Unicamp, ABED e FIESP), entregue no Ministério do Trabalho, em Brasília.

E todo o esforço se pagou. Em março de 2018 foi publicada a Nota Técnica 54, que revogava a NT 283. Dessa forma, dando os primeiros passos em direção a regulamentação da modalidade EaD para treinamentos obrigatórios no Brasil.

Por fim, em 2019, baseada nas recomendações da NT 54, a Norma Regulamentadora 1 legalizou definitivamente os treinamentos normativos por EaD. Assim, pelo envolvimento da empresa com a NT 54, o Sistema Escudo se tornou a primeira universidade corporativa focada em SST e em conformidade com a legislação no Brasil.

O desafio:

Embora a NT 54 tenha aberto o caminho para que o Sistema Escudo pudesse atuar de forma legal, Hugo, Deivid e Rodrigo sabiam que o mindset dos gestores e trabalhadores da área não mudaria da noite para o dia.

Ainda que um estudo da ABED (Associação Brasileira de Ensino a Distância), lá em 2016, tenha concluído que a proibição do EaD para treinamentos obrigatórios custaria cerca de R$ 4,1 bilhões por ano as empresas, em 2018 muitas pessoas da área ainda desconfiavam do uso de tecnologia para as capacitações.

Dessa forma, eles perceberam que mesmo após a legalização dos treinamentos obrigatórios por EaD, o grande desafio seria:

  • Modernizar toda a cultura de SST;
  • Reforçar a segurança jurídica;
  • Lidar com a desconfiança de gestores e trabalhadores a respeito da qualidade e eficácia dos treinamentos virtuais.

A solução:

Para lidar com os desafios que surgiram após a regulamentação dos treinamentos obrigatórios por EaD, os especialistas da Evolke se debruçaram sobre a NR 1 e desenvolveram treinamentos que seguiam à risca as diretrizes.

Quando terminaram, o Sistema Escudo era capaz de:

  • Registrar logs dos alunos, dos resultados de avaliações e da execução dos cursos (que ficam arquivado em um sistema seguro por 2 anos);
  • Aplicar recursos multimídia para promover a interação entre os alunos e os objetos de aprendizagem ao longo de todo o curso e em todo o catálogo;
  • Usar avaliações de aprendizado com conceito de satisfatório e insatisfatório;
  • Oferecer dados importantes para a tomada de decisão;
  • Agilizar a geração e envio de certificados.

Além disso, a plataforma também oferece outros recursos de alto engajamento. Como simuladores, que entregam uma experiência de aprendizagem em um ambiente 100% seguro e controlável.

Criou-se fóruns especiais de tira-dúvidas, que garantem a interação entre instrutores e alunos durante todo o período de realização dos treinamentos. Além de salas de aula virtuais, reguladas pelos gestores, que definem os horários em que os treinamentos estarão disponíveis. Uma maneira de acabar com multas e passivos trabalhistas pela execução de treinamentos fora do horário de trabalho.

E tudo, é claro, descrito no projeto pedagógico. Uma vez que esse documento comprova e assegura a legalidade dos treinamentos para a inspeção do trabalho, dos sindicatos e da própria CIPA.

O resultado:

O propósito do Sistema Escudo sempre foi de facilitar, otimizar e descomplicar as ações de treinamentos obrigatórios para empresas de todos os portes e prestadores de serviço SST.

Desde sua criação, o Sistema Escudo já capacitou mais de 50 mil trabalhadores, espalhados por todos os estados brasileiros. Além disso, a taxa de problemas legais dos mais de 260 clientes e parceiros em relação aos treinamentos obrigatórios da plataforma é de 0%.

Outro ponto de destaque do Escudo é a redução do custo global com treinamentos. Atualmente, essa taxa é de 70% menos custos do que com capacitações presenciais. Dessa forma, refletindo também em 70% menos tempo longe dos postos de trabalho.

Além disso, a redução não representou nenhum prejuízo no conteúdo e na aprendizagem. Inclusive,  a realidade é bem o contrário, já que o número de avaliações do aluno ficou, em média, 6x maior que a de treinamentos presenciais.

“A Evolke conseguiu construir treinamentos que realmente engajam os alunos, inspiram a confiança nos clientes e auxiliam a virada de chave da transformação digital na área de SST”, concluiu Hugo Vogel.

fundo-6
detalhe-5

Peça uma demonstração

Por que escolher
a Evolke

Dimensionamos as reais demandas educacionais da sua organização para agilizar o proceso de escolha da melhor solução.

+10 mil

colaboradores
capacitados

invesmento
médio inferior a

R$10

por colaborador

facilitando o
T&D desde

2012

fundooo-5
fundo-6